ir para farturabrasil.com.br

Fique por dentro dos lançamentos, eventos e promoções. Inscreva-se na nossa newsletter.



Receita

PRA GENTE, RECEITAS E boas HISTÓRIAS
FORAM FEITAS PARA COMPARTILHAR

São diversas receitas com afeto, pesquisadas em várias cozinhas brasileiras,
para você se inspirar e quem sabe até fazer em casa.

BARREADO – PARANÁ


voltar

GRAU DE DIFICULDADE: medio

RENDIMENTO: 5 porções

TEMPO DE PREPARO: 2h30

CHEF: Norma de Freitas

ESTADO: Paraná

ingredientes

-1 ½ quilo de lombo agulha
-150 gramas de bacon
-½ xícara de cebola picada
-1 dente de alho amassado
-1 colher de café de cominho em pó
-Pimenta-do-reino a gosto
-Sal a gosto
-Farinha de Mandioca
-Água

MODO DE PREPARO

1 – Corte a carne em cubos pequenos, de aproximadamente três centímetros. Corte também o toucinho defumado, em cubos menores que o da carne;
2 – Coloque todos os ingredientes, menos a água e a farinha, em um bowl e misture bem. Deixe descansar por duas horas para que a carne pegue o tempero;
3 – Junte tudo dentro da panela e coloque água em quantidade suficiente para cobrir a carne. Tampe a panela;
4 – Em um bowl, misture farinha de mandioca e água fria aos poucos para obter uma massa espessa, que possa ser modelada;
5 – Em seguida, cubra a tampa da panela com essa massa, com no mínimo três centímetros de espessura e sete centímetros de largura, vedando toda saída de vapor;
6 – Leve a panela ao fogo mais baixo possível e cozinhe por 12 horas;
7 – Sirva da seguinte maneira: coloque uma ou duas colheres de sopa de farinha de mandioca no prato e, em seguida, uma concha do caldo do cozido ainda fervendo. Misture, formando um pirão. Por cima, coloque os pedaços de carne.

Dicas

Dicas

-Esse prato deve ser preparado de véspera, podendo ser aquecido no momento de servir
-São ótimos acompanhamentos para esse prato arroz branco e banana-da-terra frita
-Acém e patinho também são bons corte para essa receita

História

Em uma casa arejada, rodeada de verde, a cozinheira Norma Freitas, 68, prepara o barreado, prato típico paraense, como aprendeu com seus antepassados. “Registros históricos mostram que o barreado surgiu há mais de 200 anos”, conta ela. “Os caboclos dançavam fandango e faziam um prato especial com carne em épocas de festas, para repor as energias, porque o ano inteiro comiam peixes e outros frutos do mar.”

O prato, que serve em sua Casa do Barreado, na cidade de Paranaguá, a cerca de 90 quilômetros de Curitiba, consiste em carne de segunda, temperada e cozida longamente em panela de barro, lacrada com uma massa de farinha de mandioca e água –o nome barreado vem da expressão “barrear”, que é vedar a panela.

Serve-se com rodelas de banana, arro e pirão feito com o próprio caldo do cozimento da carne, misturado à farinha de mandioca fininha.

Para prepará-lo, pode-se usar coxão-mole, acém ou patinho, temperados com ervas e condimentos como cebola, alho, pimenta-do-reino, cominho e sal.

A panela de barro era o utensílio que os caboclos tinham à mão. “Como o vapor escapava muito rápido, eles inventaram esse pirão de farinha de mandioca para lacrar a panela, para manter a umidade”, diz Norma. “Com isso, eles mantiveram a carne cozinhando e ela foi curtindo e pegando um sabor todo especial.”

Casa do Barreado
ONDE rua José Antônio da Cruz, 78, Ponta do Caju, Paranaguá, Paraná, tel. (41) 3423-1830 / (41) 3423-3935
www.casadobarreado.com.br