ir para o site

Fique por dentro dos lançamentos, eventos e promoções. Inscreva-se na nossa newsletter.



Receita

PRA GENTE, RECEITAS E boas HISTÓRIAS
FORAM FEITAS PARA COMPARTILHAR

São diversas receitas com afeto, pesquisadas em várias cozinhas brasileiras,
para você se inspirar e quem sabe até fazer em casa.

Torta de Goiabada


voltar

Torta de Goiabada

GRAU DE DIFICULDADE: facil

RENDIMENTO: oito porções

TEMPO DE PREPARO: 1h

CHEF: Cíntia Bello

ESTADO: São Paulo

ingredientes

 300 ml de leite
 180 ml de óleo
 50 gramas de açúcar orgânico ou mascavo
 5 gramas de sal
 25 gramas de fermento biológico
 1 quilo de farinha de trigo integral
 400 gramas de geleia de goiaba

MODO DE PREPARO

1 Misture todos os ingredientes, com exceção da geleia, em uma vasilha. A farinha deve ser colocada aos poucos: vá colocando e sovando a massa até que ela fique macia e homogênea, em condições de ser aberta com um rolo;
2 Forre uma assadeira com a massa, reservando um pouco para a decoração;
3 Espalhe a geleia de goiaba pela massa;
4 Faça tiras com a massa reservada e cubra a torta da maneira que desejar, com listras paralelas ou formando quadriculados;
5 Leve ao forno pré-aquecido a 180°C até que fique dourada.
Dicas

Dicas

– Sirva a torta quente acompanhada de uma bola de sorvete de queijo
– Caso não encontre a geleia de goiaba, pegue 400 gramas de goiabada cascão e leve ao fogo com 100 ml de água. Quando ficar cremosa, desligue o fogo e recheie a torta

História

“Grande parte das pessoas desconhece as frutas brasileiras”, diz Douglas Bello, responsável pelo Sítio do Bello, na área rural de Paraibuna, no Vale do Paraíba, a cerca de 130 quilômetros de São Paulo.

Foi com o objetivo de recuperar áreas degradadas e trabalhar a riqueza dos ecossistemas nacionais por meio das frutas nativas que seu sítio foi criado em 1999, com o plantio de 6.000 mudas de árvores frutíferas em dez hectares.

Em meio a seu viveiro de mudas, Bello destaca espécies nativas da mata atlântica, do cerrado e da Amazônia. Estão ali uvaia, cambuci, cambuca, cagaita, cabeludinha, feijoa, grumixama, pitanga, jenipapo, jaracatiá, araçá-boi. “O contato com as frutas de diferentes biomas brasileiros acaba gerando interesse em querer preservá-los”, diz.

Ali, é possível comprar mudas de árvores e produtos obtidos do aproveitamento das frutas –é importante unir a conservação ambiental ao uso econômico, diz ele.

Como muitas das árvores plantadas no sítio têm períodos de produção muito curtos (a uvaia, por exemplo, só produz em outubro), a solução encontrada foi colher a fruta quando madura, retirar sua polpa e congelar ou transformá-la em geleia.

“Chefs que trabalham com gastronomia brasileira têm se interessado por esses produtos. E eles perceberam que a riqueza de um cardápio está justamente em trabalhar com a sazonalidade das frutas.”

Sítio do Bello

ONDE: estrada da Roseira, km 11,5, Paraibuna, São Paulo, tel. (11) 3664-7976

www.sitiodobello.com.br

Os comentários estão desativados.