Fique por dentro dos lançamentos, eventos e promoções. Inscreva-se na nossa newsletter.


Receita

PRA GENTE, RECEITAS E boas HISTÓRIAS
FORAM FEITAS PARA COMPARTILHAR

São diversas receitas com afeto, pesquisadas em várias cozinhas brasileiras,
para você se inspirar e quem sabe até fazer em casa.

Paçoca Pantaneira


voltar

Paçoca Pantaneira

GRAU DE DIFICULDADE: facil

RENDIMENTO: oito porções

TEMPO DE PREPARO: 1h30

CHEF: Lidia Aguilar Leite

ESTADO: Mato Grosso do Sul

ingredientes

 1 quilo de carne seca
 250 gramas de farinha de mandioca branca
 100 gramas de alho picado
 200 ml de óleo de soja

MODO DE PREPARO

1 Pique a carne em cubos e coloque-a em uma panela com água. Leve ao fogo e deixe ferver por cinco minutos. Escorra a água;
2 Repita esse processo por pelo menos mais duas vezes, ou até notar que a carne está macia;
3 Soque a carne num pilão para desfiá-la;
4 Numa panela aquecida, refogue o alho no óleo. Quando ele ficar dourado acrescente a carne seca aos poucos, e vá fritando para que fique bem sequinha;
5 Quando a carne estiver bem frita comece a juntar a farinha aos poucos, formando a paçoca. Sirva em seguida.
Dicas

Dicas

-Se achar que depois de fritar a carne ficou muito óleo na panela, retire uma parte
-Não coloque toda a farinha de uma vez, para que não vire uma farofa. Talvez não seja necessário usar toda a farinha

História

O preparo indígena de passar no pilão carnes secas com raízes, cascas e farinha popularizou-se pelo país ao longo dos anos. Tropeiros, garimpeiros, bandeirantes e vaqueiros levavam essa paçoca, de fácil conservação, em suas viagens para se sustentarem nas longas jornadas.

No Mato Grosso do Sul não foi diferente. Preparar a paçoca no salão, na presença dos clientes, é uma forma que a cozinheira Lídia Aguilar Leite, dona do Recanto Vale do Sol, em Corumbá, a 420 quilômetros de Campo Grande, encontrou de manter suas origens vivas.

“Meu pai era vaqueiro e foi a paçoca que o sustentou em muitas viagens levando o gado de um lado para outro”, lembra.

O preparo do prato é simples, mas exige paciência. Primeiro, a  carne de sol é frita na panela até ficar bem sequinha –detalhe importante, aponta ela. Os pedaços de carne seguem, então, para um imenso pilão de madeira, onde são misturados a uma pequena quantidade de farinha de mandioca. Paçoca Pantaneira

Com movimentos constantes, Lídia vai amassando a carne. O tempo passa e só muitos minutos depois ela mostra que a farinha e a carne estão bem misturadas, formando como que pequenos grãos. “Agora está ótima”, diz.

Recanto Vale do Sol

ONDE BR 262, acesso em frente ao Frigorífico Urucum, Corumbá, Mato Grosso do Sul, tel. (67) 3231-1820

Os comentários estão desativados.